Você acredita em alienigenas?

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

A Suástica Nazista e a Sociedade Vril

A suástica é a marca do regime nazista. Está presente em tudo relacionado ao nazismo e até hoje causa espanto em certas pessoas. Os nazistas trouxeram a suástica do budismo, também da Índia de onde já haviam trazido as vimanas. O sânscrito significa marca de longevidade ou felicidade. Mas não está presente apenas na Índia e na Alemanha, mas também no Egito, Irã, África Ocidental, México, Peru.





Mas os nazistas usavam a suástica para simbolizar a raça ariana e a luta pela vitória.
Talvez os nazistas não sabiam, mas para os hindus, estava relacionada ao universo, a vida dos deuses que desciam dos céus, os deuses extraterrestres. E em tudo o que se colocava representava a busca pela força suprema, a estabilidade e a conquista.
Desta forma, Hitler teria usado a suástica para estabelecer uma conexão com os alienígenas? Teria usado como conexão extraterrestre? Todos sabem que ele era obcecado por mitologia, pelo oculto, por coisas antigas e por conhecimento.

Por isso ele não se importava em gastar dinheiro para ser o primeiro a descobrir tudo e ser mestre naquilo que descobria. E havia uma sociedade secreta que trabalhava para Hitler, trazendo novas informações. A sociedade Vril. Comandantes da SS, do Partido Comunista e da Força Aérea alemã estavam como líderes da sociedade para buscar essas importantes informações. O nome Vril foi retirado do livro The Coming Race do Barão Edward Bulwer-Lytton. Onde Lytton descreve uma sociedade superior poderosa com um poder místico antigo chamado Vril, poder este que podia ser controlado. E os integrantes desta sociedade imaginavam que poderiam utilizar o poder para controlar naves espaciais por exemplo.

Os integrantes da sociedade diziam que somente eles poderiam ter esta energia, pois descendiam de uma sociedade superior vinda do Sistema Solar de Aldebaran num passado distante, e os membros desta raça totalmente pura eram chamados de arianos. Somente os puros poderiam controlar o poder Vril, então está era a justificativa do Partido Nazista para estabelecer a Supremacia Ariana no Planeta Terra.

Sociedade Vril
Quando em 1933 o Partido Nazista assumiu o poder, o Vril pediu a Hitler e seus companheiros a buscar tecnologias alternativas pelo planeta. E assim pesquisadores, engenheiros e cientistas começaram a vasculhar todo o planeta atrás de antigos textos de diversas culturas com possíveis tecnologias interessantes a serem estudadas e desenvolvidas. Exemplos são o Santo Graal e a poderosa Arca da Aliança, que de acordo com os textos bíblicos, possuíam poderes incríveis que seriam possivelmente utilizados como armas.


Seria essa obsessão de Hitler real? Ele realmente acreditava que textos e lendas de livros antigos eram reais? Vemos exemplos destas histórias nazistas nos filmes de Indiana Jones, desde Arca da Aliança a Alienígenas antigos, todas as histórias eram baseadas em fatos reais.
Maria Orsitsch
Os integrantes da Sociedade Vril diziam poder contatar seres extraterrestres por telepatia. Uma integrante era Maria Orsitsch, que era a líder a Sociedade Vril feminina. Ela possuía longos cabelos e acreditava que eram uma espécie de antena que mantinha contato com as mentes alienígenas. Esses contatos telepatas seriam os responsáveis segundo eles próprios pela inspiração da criação das naves como discos voadores, que poderia voar de alguma forma não convencional. De fato os alemães tiveram um avanço tecnológico incrível em curto tempo. Principalmente em naves e foguetes.

Os principais engenheiros nazistas diziam que receberam ajuda de outros planetas para desenvolverem o Programa de Foguetes Nazistas. Quão próximo Hitler esteve destas forças de outros planetas? Qual a relação entre estas forças e as descobertas que levaram ao avanço alemão?

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Engenharia Reversa Nazista

Em seu livro "Sociedades secretas e seu poder no século XX", Jan Van Helsing, afirma que em 1936, um estranho acidente na floresta negra. Habitantes da cidade de Friedberg, viram um enorme acidente aéreo com fortes luzes na floresta, decidiram então ir ver o ocorrido, deparam-se com um estranho veículo circular e de dentro saíram pequenos seres humanoides.
Van Helsing ainda dizia que tropas de Hitler resgataram a nave e sua tripulação, levando para o um castelo secreto nazista. Lá, cientistas fariam engenharia reversa com a nave alienígena.
Existem diversos relatos de pessoas da época que garantem que viram as análises de propulsão e engenharia reversa feitos naquela nave.

Existiam muitos cientistas empenhados em inventar coisas encima das descobertas daquela nave. Um desses inventores era o Austríaco Victor Schauberger. Ele estudou a natureza, e concluiu que os peixes não nadam simplesmente, a água que os faz se movimentar e o mesmo para os pássaros, não voam, o ar os puxava pelos céu. Então, Victor idealizou um veículo onde o ar entrava por um canal e não era empurrado mas sim puxado de dentro para fora, movimentando o veículo. Era um redemoinho criado dentro de um canal, girava com a ajuda de água ou mercúrio e possibilitava com o ar, que o veículo fosse puxado e não empurrado.
Victor Schauberger
Se colocado por exemplo em um avião, conforme ele acelerava, o ar puxava cada vez mais o avião para a frente, fazendo com que a aeronave voasse sem maior esforço em uma perfeita velocidade. Por isso, que muitos julgam Victor Schauberger como sendo o inventor dos discos voadores. Ele mesmo diziam ter estudos as Vimanas indianas e visto que nelas existiam uma propulsão magnética. Seria possível que os nazistas estudaram os textos antigos do Bagavadguitá e usaram a tecnologia nas suas naves?






A resposta é sim, e com a ajuda dos estudos de propulsão de Victor Schauberger, com os estudos dos livros indianos das Vimanas e mais a nave que caiu na Floresta Negra na Alemanha, em 1939, os nazistas idealizaram e desenvolveram seu primeiro disco voador. Haunebul I.
Projeto Haunebul I
Vimana hindu

Embaixo existiam duas bolas de luzes que geravam elétrons e pósitrons, que faziam a nave flutuar. Eles criaram e segundo alguns ela voou, a foto abaixo seria prova.
Mas até onde os nazistas foram em busca desse desenvolvimento? Teriam feito contato com seres de outros planetas? Teriam realmente estudado culturas antigas como a indiana?

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

A cidade perdida de Wanaku

Há cerca de quatro mil metros de altura, localizasse o mais alto lago navegável do planeta. O Lago Titicaca. Divindindo-se entre Peru e Bolívia, o Lago possui, Um lago escuro e pouco estudado. 
Em agosto de 2000, um grupo de pesquisadores italianos mergulhou no lago para fazer pesquisas em seu leito. Desceram até trezentos metros no profundo e lendário lago. Encontraram evidências de uma estrada pavimentada, um terraço e muros de pedras com cerca de 800 metros. E por centenas de anos, os locais diziam que uma cidade perdida chamado Wanaku existiria em algum lugar da região. Poderiam estas ruínas então serem a prova de que esta cidade existia?

Depois de todas essas descobertas, um novo e surpreendente achado, uma cabeça de pedra foi encontrada no fundo do lago. A cabeça se assemelhava muito com as encontradas no sitio de Tiwanaku, na Bolívia, a três quilômetros ao sul do lago. Uma cidade cheia de especulações e mistérios, mas nenhuma explicação comprovada. Provavelmente teria tido origens extraterrestres.

E se de fato as ruínas forem da cidade perdida de Wanaku? Teria a cidade sofrido algum tipo de desastre natural? Ou talvez tivesse sido inundada?

Arqueólogos julgam que as ruínas existem há mil e quinhentos anos. Então como teria sido inundada? E animais como cavalos marinhos vivem no lago. Como num lago totalmente isolado e tão a quatro quilômetros de altitude viveria um animal marinho? Poderia o lago ser artificial então? Mas como pessoas teriam criado um lago com cerca de 150 mil metros quadrados?
Aimaras
Os Aimaras, uma tribo local muito antiga, diz que todas as ruínas, cidades e tudo aquilo que existe ali, está ali desde o princípio dos tempos. Seriam as raízes das estrelas. Eles próprios contam que segundo as lendas, os deuses dos céus vieram até a Terra e os ensinaram a com sua sabedoria e experiência. Mas os Aimaras dizem que não foram eles que construíram tudo, os extraterrestres teriam apenas os ensinado e os nativos sim teriam construído tudo. Mas não poderiam os ancestrais dos Aimara terem inundado a cidade para que o mundo externo não encontrasse a cidade?
Muitos locais juram que até hoje veem luzes saírem do fundo do lago à noite, e garantem que desde o início dos tempos foi assim. Será que existiria uma base alienígena no fundo do lago e a inundação seria para também esconder a base? Qual seria a finalidade da base e da inundação de Wanaku?

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Lemúria e a cidade lendária de Dwarka


No litoral noroeste da Índia, em 2001, foi realizada uma pesquisa sobre poluição no Golfo de Cambaia. Passando o sonar no leito do oceano, acabaram encontrando o que imaginavam serem apenas cadeias de corais a cinqüenta metros de profundidade. Porém por possuírem linhas retas, formatos de retângulos, decidiram descer para investigar o que pareciam ser paredes submersas.






Para a surpresa da expedição, foram encontradas paredes, rua, entre diversas construções. Era uma cidade inteira debaixo d'água. Muitos objetos foram retirados e levados para análise. E foi concluído que datavam de mais de trinta e dois mil anos atrás. Porém, especialistas dizem que aquela área afundou debaixo das águas do mar há cerca de nove mil anos. Nos livros a Índia só existe há cerca de quatro mil e quinhentos a cinco mil anos. Desta forma, está cidade mudaria a história?

Cerca de dois mil quilômetros a oeste, está a atual cidade de Dwarka. Muitos arqueólogos vêm fazendo pesquisas na região, e debaixo das areias da cidade acharam sedimentos marinhos. Desta forma, resolveram buscar ruínas nos mares.

E acabaram achando uma cidade completa, com ruas, diversas construções e um grande porto. Acadêmicos afirmaram então, que as ruínas eram da lendária cidade de Dwarka.
Cidade de Dwarka ou Dwaraka


Krishna

Dwarka era segundo as lendas hindus a cidade onde vivia Krishna, a principal figura do hinduísmo. Segundo as lendas, em certo momento, o Rei de Shalva, Shalvaraj atacou a cidade de Dwarka e seu líder Krishna.
Rei Shalva ou Shalwa
 E não foi um ataque qualquer, de acordo com os textos, Shalvaraj utilizou as famosas vimanas, naves voadoras atiravam poderosos raios de luz que destruíam a cidade. E neste momento, Krishna teve de utilizar de seus superpoderes para parar o ataque de Shalvaraj e atirou seus poderosos raios contra as naves. Diziam que as naves pareciam estar em dois ou mais lugares diferentes. Teria então ocorrido uma guerra de alienígenas? Afinal há tantos anos não existiam naves voadoras com poderosas armas. E Krishan, era um Deus de verdade ou um ser de outro planeta?


Os textos se relacionam com os também hindus, Sangams, que eram poemas criados em 600 a.C., e falavam sobre uma terra que ficaria onde hoje está o Oceano Índico. Esta terra seria um continente perdido chamado Kumari Kandam, ou como alguns chamam Lemuria. Neste continente, pessoas com superpoderes viveriam quando há milhares de anos atrás o continente estava ainda não estava submerso.
 
E os achados submersos no litoral indiano seria talvez a prova de que este continente de fato existiu. Será que este continente realmente existiu e teria seres alienígenas como habitantes?

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

A lenda de Utsuro Bune

Uma lenda japonesa de 1803 chamou a atenção dos teóricos nos últimos anos. Vinda de uma praia ao norte de Tóquio.

Está lenda diz que em um momento, uma nave gigantesca emergiu do mar, próximo da praia, os moradores locais resolveram investigar seu interior e encontraram uma jovem garota. Está garota não falava nenhum idioma conhecido, e o interior da nave possuía estranhas inscrições. Está jovem segurava em suas mãos uma caixa que não permitia que ninguém tocasse.

Na cultura japonesa caixas eram usadas para colocar cabeças decapitadas de homens e carregadas por suas mulheres. Porém, nenhum japonês conhecedor da cultura vê nesta caixa da lenda, similaridades com as caixas com cabeças decapitadas.

É a famosa lenda de Utsuro Bune ou Barco sagrado. Mas de onde teria surgido esse barco sagrado? Não poderia ter vindo do Triângulo do Dragão? Ou teria na verdade vindo dos céus? Dentre cinco diferentes e conhecidos desenhos do barco sagrado, todas são muito similares e todas com formatos parecidos com OVNIS.

Em certo momento da cultura japonesa, foram criados os Dogü, pequenas estátuas com um formato muito sugestivo. A aparência não é nada humana e nem de natureza conhecida. Possui como um capacete, vestimenta de mergulhador ou astronauta, ferramentas pelo corpo e muitos botões.



Segundo as lendas e a cultura japonesa, tudo o que hoje eles sabem língua, escrita, casas, comida entre outros tantos símbolos culturais japoneses foram ensinados por esses deuses que chamam de Dogü. E estes deuses japoneses teriam de fato vindo do espaço como a cultura diz. 

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

As ruinas submersas de Yonaguni

Em Yonaguni, uma ilha no sul do Japão, em 1987, foi encontrada diferentes estruturas submersas no oceano. O que muitos julgavam ser apenas formações rochosas moldadas pela água do mar, assumia formatos geométricos com linhas perfeitas.

Ruas, passagens, muros perfeitos, tuneis, formações cilíndricas e um rosto humano, que remete aos moais de Páscoa ou a Esfinge em Giza, como dizem os próprios pesquisadores japoneses.

Rocha em formato de cabeça


Monumentos com avenidas no centro seria para muitos pesquisadores um complexo de cerimônias.
Definitivamente não foi obra da natureza, foi erguido por mãos humanas. Mas quando? Abaixo de vinte metros de água no meio do oceano?


Possivelmente foi construída quando ali ainda não estava submerso. Isso nos remete a última Era Glacial, ou seja, cerca de quatorze mil anos atrás. Nessa época, vivíamos nas cavernas, caçávamos para comer e naquela região é muito provável que não existissem japoneses ainda. Seriam viajantes então que possuíam tecnologia suficiente, planejamento e conhecimento para erguer um complexo tão grande.


Nesta região existe o conhecido Triangulo do Dragão. Uma área muito parecida com o Triângulo das Bermudas, uma região, onde navios e aviões desaparecem, uma área de desastres que os orientais sempre se mantêm o mais longe possível.

O nome foi dado, pois, naquela região era de onde as mitologias locais diziam que saiam dragões jogando fogo, fumaça e muitas luzes, voavam para os céus.
Desenho do complexo completo, que deveria ficar fora d'água anteriormente.

Isso nos faz lembrar de Atlantis, e principalmente dos registros feitos por Colombo quando passou pelo Triângulo das Bermudas e avistou objetos luminosos saírem da água, sobrevoarem e sumirem nos céus.

E quando traçamos uma linha reta, notamos que ambos os Triângulos estão alinhados. Ambos com as mesmas características magnéticas e problemas de desaparecimentos, fora os estranhos relatos de objetos com luzes sobrevoando a região. Seriam apenas coincidências ou de fato seriam bases de civilizações antigas que possuem ligação com seres alienígenas?